Samara Joy com Pasquale Grasso Trio

Com uma voz suave como veludo, SAMARA JOY é uma estrela que parece subir a cada apresentação. Após ter vencido o Sarah Vaughan International Jazz Vocal Competition 2019, está atualmente a gravar o álbum de estreia, que contará com Samara e Pasquale Grasso Trio.

Samara Joy

Cresceu em Nova York, a música foi uma presença generalizada, devido à inspiração dos seus avós paternos, Elder Goldwire e Ruth McLendon, que lideraram o conhecido grupo gospel sedeado em Filadélfia, The Savettes. O seu pai viajou com o grande artista de gospel Andrae Crouch, e a sua casa estava permanentemente repleta de sons, não apenas das músicas e do processo de composição do seu pai, mas também da inspiração de muitos artistas de gospel e R&B, incluindo Stevie Wonder, Lalah Hathaway, George Duke, Musiq Soulchild, Kim Burrell, Commissioned e muitos outros.

“Embora eu não tenha crescido a cantar na igreja”, explica Samara, “constantemente ouvia a minha família a cantar músicas inspiradoras, o que me inspirou a valorizar a minha linhagem musical. Por meio de musicais no ensino médio, adorei explorar o alcance da minha voz e
aplicar as diferentes cores para se adequar aos personagens que interpretei. Finalmente, durante o ensino médio, entrei para o coro da minha igreja, onde eventualmente me tornei numa líder de louvor, cantando três cultos por semana durante quase dois anos. Este foi o meu treino.”

A primeira “exposição” de Samara ao jazz foi enquanto frequentava a Fordham High School
for the Arts, onde se apresentava regularmente com a banda de jazz, ganhando o prémio
de Melhor Vocalista na competição Essentially Ellington da JALC. No entanto, o jazz não era realmente o seu foco, até que chegou a hora de escolher uma faculdade. Querendo estudar numa escola estadual perto de casa, ela escolheu a SUNY Purchase, tendo sido aceite no seu aclamado programa de jazz, com um corpo docente que inclui muitos mestres de jazz (incluindo Pasquale Grasso e o baterista Kenny Washington, que aparecem no seu álbum de estreia).

“Os meus amigos gostavam de jazz e começaram a compartilhar as suas músicas favoritas comigo. O ponto de viragem foi quando ouvi a versão de “Lover Man” de Sarah Vaughan e as gravações de Tadd Dameron com o trompetista Fats Navarro. Fui “apanhada”.”
A partir desse ponto, Samara começou a seguir os seus estudos de jazz com uma paixão intensa, eventualmente sendo nomeada como Ella Fitzgerald Scholar e participando e vencendo a Sarah Vaughan International Jazz Vocal Competition.

Embora só recentemente tenha celebrado o seu 21o aniversário, Samara já se apresentou em muitas das grandes referencias de jazz de Nova York, incluindo Dizzy’s Club Coca Cola, The Blue Note e Mezzrow, além de trabalhar com grandes nomes do jazz como Christian McBride, Pasquale Grasso, Kirk Lightsey, Cyrus Chestnut e o Mestre de Jazz da NEA, Dr. Barry Harris.

O lançamento do seu álbum de estreia está programado para 9 de julho através da Whirlwind Recordings. Será apresentado com o trio do guitarrista Pasquale Grasso, o baixista Ari Roland
e o baterista Kenny Washington. No encarte do álbum, o escritor veterano Will Friedwald comenta que Samara Joy é “uma coleção fantástica de novos arranjos altamente originais, lindamente cantados por um talento em ascensão, e um primeiro álbum muito impressionante. As pessoas estão sempre a usar a palavra ‘intemporal’ como se fosse o maior elogio de todos, mas de certa forma, a voz de Samara e sua música parecem pertencer a todos os tempos, como se ela estivesse conectada a toda a história do jazz de uma só vez - como se ela existisse em todas as épocas em simultâneo, ela soava tanto clássica quanto contemporânea. ”

Ganhar o prémio Vaughan foi transformador para Joy. “Eu estava de repente no radar do jazz. Ainda é bizarro pensar em quão rápido as coisas progrediram. ” Desde então, Joy trabalhou arduamente para descobrir as suas raízes no jazz, sem perder de vista a simplicidade inata com que faz o seu som brilhar.

O seu primeiro álbum anuncia a chegada de uma jovem artista destinada à grandeza.

© 2012 - • Culturcaldas - Associação de Produção Gestão e Desenvolvimento Cultural • Todos os direitos reservados
Powered by [dp]Soluções