Elisa Rodrigues - Voz
João Firmino - Guitarra
Margarida Campelo - Piano, Teclados
Ricardo Marques - Baixo / Contrabaixo
Alexandre Alves - Bateria
António Quintino - Direcção Musical

Convidadas:
Carolina Deslandes 
IRMA

Elisa Rodrigues convida Carolina Deslandes e IRMA

O Festival Internacional Caldas nice Jazz recebe o concerto de Elisa Rodrigues “As Blue as Red”, o primeiro álbum de originais da cantora.

Elisa recebe Carolina Deslandes e IRMA como convidadas especiais para este concerto no Grande Auditório do CCC.

As Blue As Red é um disco amadurecido mas que dispensa complicações, que conta com a inspirada produção de Luísa Sobral, com a aplicação de um núcleo de excelentes instrumentistas, com a aventura de dez canções originais (para o total das onze apresentadas), muitas das quais abrem espaço ao instinto e ao gosto autoral da própria Elisa Rodrigues. Surpreende os que já a conhecem de “outros carnavais” e seduz, sem margem de erro, os muitos que vão descobri-la agora. Revelação, de uma vez por todas. Só falta ouvir.

 

Bilhete: 15€
Bilhete Duplo: 25€
Estudante|Sénior: 8€

Livre Trânsito: 35€
Acesso a seis espetáculos do Festival Caldas nice Jazz'20: 
Manuel Linhares Quarteto | Lokomotiv | Elisa Rodrigues | Orquestra Jazz de Matosinhos | Daniel Bernardes & Drumming GP | Maria João

 

Elisa Rodrigues

Elisa Rodrigues deu-nos, com As Blue As Red, o seu segundo longa-duração, mais um argumento, irrefutável e definitivo, para defender a ideia de que uma revelação – estatuto que muitos convictamente atribuem a Elisa Rodrigues – pode implicar muito tempo e muitas etapas de crescimento, algumas delas construídas à vista de quem quiser olhar a valer. 

Atente-se no caso desta mulher que, neste momento, temos sob observação: acumulou nos últimos anos muitas experiências de palco, integrando equipas de outros artistas portugueses ou assumindo o desafio em nome próprio, mesmo que o trabalho se desenvolvesse em equipa; gravou um álbum de estreia, Heart Mouth Dialogues, em 2011, fazendo confluir para uma linguagem já personalizada o gosto de múltiplas referências e a aprendizagem com distintas (em mais do que um sentido…) influências, em especial aquela que lhe valeu, sobretudo no meio musical, passar a ser identificada como uma voz do jazz, pela proximidade, pela identidade e pela liberdade; foi recrutada para gravar com a banda britânica These New Puritans, assumindo essa responsabilidade no álbum Field Of Reeds, de 2013, acabando por manter esse posto de destaque na digressão intercontinental do grupo; no âmbito dos concertos, tornou-se uma presença familiar e desejada pelos mais atentos às movimentações musicais por cá, marcando presença em reuniões de largo espectro em território nacional (os festivais Vodafone Mexefest, Cool Jazz, MED, Douro Jazz), deixando a sua impressão digital em palcos internacionais de enorme exigência (como o da sala londrina The Barbican ou do mítico Hollywood Bowl, em Los Angeles). 

Quando foi desafiada por Jack Barnett, líder dos These New Puritans, Elisa “apresentou contas” numa entrevista ao Público. Para dizer que uma colaboração com António Zambujo e a interpretação de um tema de Amália Rodrigues não significavam que sentisse “qualquer tipo de linguagem especificamente ligada ao fado” e que mantinha o jazz como seu “universo”. E mais: “Nos últimos tempos decidi dar-me espaço para experiências novas, colaborar com outras pessoas e renovar energias, mas não quero descurar o percurso a solo”. Ainda bem, reconhecerão todos os que se dispuseram a abrir espaço – e ouvidos – para o   mais recente compasso de Elisa Rodrigues.


Carolina Deslandes

Carolina Deslandes é uma das maiores artistas da actual geração de cantores e compositores portugueses. Com milhões de visualizações no Youtube tem trilhado um percurso meteórico desde a sua estreia, afirmando-se como uma das maiores referências não apenas no universo digital mas na música nacional contemporânea.

“Casa”, o seu terceiro disco de originais, foi editado a 20 de Abril e entrou directamente para o 1.º lugar do Top nacional de vendas, tornando-se o álbum que mais vendeu na semana de estreia, em 2018. Pertencem a “Casa” os temas “A Vida Toda” - galardoado com o single de Ouro e com mais de 10 milhões de visualizações no Youtube - e “Avião de Papel” (letra e música de Carolina Deslandes) feat. Rui Veloso, que em apenas 2 meses ultrapassou 3 milhões de visualizações no Youtube e voou diretamente para os tops de venda e streaming nacionais.

Com apenas 19 anos, Carolina participou em 2010 no programa “Ídolos” onde conquistou o público português. Em 2012, “Não É Verdade”, que soma 4,1 milhões de visualizações, seria o primeiro single a chegar às maiores rádios nacionais, extraído do seu álbum homónimo. Em 2014, edita “Blossom”, e “Mountains”, o dueto com Agir, tornou-se um sucesso sem precedentes, contabilizando até hoje mais de 13 milhões de visualizações.

O following nas redes sociais não parou de crescer, com 115 mil subscritores no YouTube, quase 600 mil seguidores no Instagram e mais de 188 mil no Facebook.


IRMA

A um mês de editar “Primavera”, o seu disco de estreia, IRMA revela “A Qualquer Hora”, o terceiro single, que sucede a “Da Mesma Pele” e “Monami”, e acelera a ascensão de uma artista completa que, apesar de se ter primeiro afirmado junto do grande público enquanto atriz, tem no canto e na composição a mais antiga expressão do seu talento, que revelou ainda criança e que agora abraça em paralelo à representação. Além de assinar a letra de “A Qualquer Hora”, IRMA partilha a autoria da música com Pity, os arranjos com Pity e Tatanka e a realização do vídeo com Fiumani. 

 IRMA nasceu em Lisboa mas a sua identidade reflete forte influência da cultura angolana, ou não fosse Angola o país de origem dos avós com quem cresceu. Aos 12 anos herdou uma guitarra da mãe, que não mais parou de explorar ao mesmo tempo que se aventurava na escrita de canções, primeiro dentro do seu quarto e a pouco e pouco com a porta aberta para o mundo. Licenciada em Artes Performativas, porque sempre acreditou que música, teatro e dança se complementam. Soma vários papéis enquanto atriz de ficção transmitida nos vários canais nacionais e já fez parte do elenco de vários musicais: "Entre o céu e a terra", " A bela e o mostro", "Terra dos sonhos", "Eusébio, um hino do futebol" e “ZOO”.

Copyright © 2020 • Culturcaldas - Associação de Produção Gestão e Desenvolvimento Cultural • Todos os direitos reservados
Powered by [dp]Soluções